População e comerciantes aderiram ao “Solânea Lixo Zero” durante o Dia D da campanha.

Ocorreram duas ações paralelas para incentivar a destinação correta do lixo e manter a cidade mais limpa.

O Governo de Solânea, através da Secretaria de Meio Ambiente e em parceria com a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Solânea (Catasol) realizou hoje (21) a campanha “Solânea Lixo Zero” durante toda a manhã e tarde na rua principal do centro.

Ocorreram duas ações paralelas que fazem parte da campanha: A campanha educativa e informativa “Adote um Catador” nas ruas João Fernandes de Lima, Celso Cirne e Professor Francisco Pinto; e a “Coleta de Lixo Eletrônico” em um ponto de entrega voluntária de lixo eletrônico montado na Praça 26 de Novembro, além da coleta realizada por um caminhão. “Foi uma grande mobilização no centro da cidade. Os moradores e comerciantes receberam bem a campanha e aderiram” contou a Secretária de Meio Ambiente, Iêda Pereira. Foi entregue e exposto para visibilidade nos comércios e residências um selo que indica a adesão à campanha. Também foi apresentada no stand de coleta uma maquete representando como estará a cidade a partir do desenvolvimento das ações.

A campanha “Solânea Lixo Zero” estimula geração de renda

A Engenheira Ambiental da Secretaria, Camila Prudêncio, explicou que a campanha tem como metas, a reutilização, a reciclagem, a redução do volume de resíduos coletados e a redução do volume dos rejeitos destinados ao aterro sanitário/lixão. “Dois dos nossos objetivos é estimular a geração de emprego e renda para as 40 famílias dos catadores de materiais recicláveis da Catasol e conscientizar a população sobre a destinação correta dos resíduos”, explicou.

Para o prefeito Kayser Rocha a campanha representa um passo importante para a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). “Estamos unidos, com o apoio da população, para transformar os hábitos em relação ao nosso lixo e deixar nossa cidade mais limpa. Podemos alcançar o máximo de aproveitamento com a destinação correta dos recicláveis e do lixo eletrônico” reforçou. A previsão é que até o início de 2020 os lixões da região sejam desativados e os municípios encaminhem seus resíduos, com custo financeiro, para um aterro sanitário em Guarabira.

 

QUER SABER COMO AJUDAR?

Separe todos os resíduos gerados como os recicláveis e não recicláveis, seja em casa, ou na escola, empresas, igrejas, associações, ou seja, em qualquer lugar que gere resíduos.

Os resíduos recicláveis que podem ser entregues aos catadores são:

  • Papel: Papel sulfite (oficio), papelão, caixas de embalagem de produtos, papel de presente, folhas de caderno, livros, revista e etc.
  • Plástico: Sacolas plásticas em geral, garrafas PET, embalagens de alimentos (ex: embalagem de arroz, açúcar, biscoto, margarina), embalagens de material de limpeza e higiene (ex: água sanitária, amaciante, shampoo, detergente), bacias, baldes, cadeiras quebradas e etc.
  • Vidro: Garrafas transparentes, vidros planos e lisos, potes de alimento e etc.
  • Metal: latas de alumínio (ex: cerveja, refrigerante), arames e parafusos, fios de metal, penas sem cabo, fios eletricidade, ferragens e etc.

 

Os resíduos não recicláveis que serão coletados pela prefeitura são: papel higiênico, fraldas e absorventes usados, cotonetes, camisinhas, embalagens engorduradas ou sujas, papel alumínio, descartáveis em geral (copos, pratos, garfos, colher, dentre outros), clipes, fotografias, espelhos e etc.

Os resíduos orgânicos (cascas de ovos, frutas, legumes, talos e folhas de verduras, borras de café e chá, restos de comidas)  podem ser utilizadas para produção de adubo através de composteira domestica, mais informações na Secretaria de Meio Ambiente.

Os resíduos eletroeletrônicos podem ser entregues nos pontos de entrega voluntaria, localizado na Secretaria de Infraestrutura e Escola Municipal José Américo de Almeida (modelo).

Óleo de cozinha usado: ao esfriar coloque em uma garrafa Pet, feche bem e leve até a secretaria de meio ambiente. Outra opção, é fazer sabão caseiro, que também é uma solução ecologicamente correta para esse resíduo.

“A coleta seletiva traz renda, dignidade e proteção ambiental.”

 

 

COMPARTILHAR